google analytics

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Livros de metal encontrados na Jordânia podem mudar a história do Cristianismo



Coleção de pequenos manuscritos em metal pode alterar a história bíblica.
A coleção encontrada há 5 anos em uma caverna na Jordânia é composta por 70 livros, com 5 a 15 páginas cada, feitos de chumbo e amarrados com arame que podem desvendar alguns dos segredos primórdios do cristianismo. Os cientistas ainda estão cautelosos quanto à autenticidade dos livros, mas acreditam que as imagens, os símbolos e as palavras contidas nas páginas com dimensões similares as de um cartão de crédito possam conter informações sobre os últimos anos de vida de Jesus.
Testes iniciais foram realizados com base na corrosão do metal, característica que os especialistas acreditam ser impossível de se criar artificialmente. Os resultados demonstram que os livros podem datar do primeiro século depois de Cristo. Caso estas hipóteses sejam confirmadas esses livros estariam entre os primeiros registros cristãos; seriam anteriores aos manuscritos de São Paulo.
Os documentos estão atualmente sob posse de um israelense e este fato gera algumas tensões na comunidade cientifica que não faz idéia do destino que este cidadão pode dar a documentos com tanto valor histórico e religioso. Para Sr. Elkington, líder britânico do movimento que defende a devolução dos manuscritos a Jordânia, afirma que é crucial a recuperação destes materiais intactos, visto que estes livros podem representar a maior descoberta arqueológica sobre o cristianismo.

fonte: http://jornalciencia.com/index.php?option=com_content&view=article&id=644:livros-encontrados-na-jordania-podem-mudar-a-historia-do-cristianismo&catid=137:diversos&Itemid=520

terça-feira, 19 de abril de 2011

Data da Páscoa

A páscoa judaica (Pesach), que ocorre 163 dias antes do início do ano judaico, foi instituída na epoca de Moisés, uma festa comemorativa feita a Deus em agradecimento à libertação do povo de Israel escravizado pelo Faraó, o rei do Egito. Esta data não é a mesma da Páscoa Juliana e Gregoriana.
O dia da Páscoa cristã, que marca a ressurreição de Cristo, de acordo com o decreto do papa Gregório XIII (Ugo Boncampagni, 1502-1585), Inter Gravissimas em 24.02.1582, seguindo o primeiro concílio de Nicéia de 325 d.C., convocado pelo imperador romano Constantino, é o primeiro domingo depois da Lua Cheia que ocorre em ou logo após 21 de março , data fixada para o equinócio de primavera no hemisfério norte. Entretanto, a data da Lua Cheia não é a real, mas a definida nas Tabelas Eclesiásticas, que, sem levar totalmente em conta o movimento complexo da Lua, podia ser calculada facilmente, e está próxima da lua real.
De acordo com essas regras, a Páscoa nunca acontece antes de 22 de março nem depois de 25 de abril. A Quarta-Feira de Cinzas ocorre 46 dias antes da Páscoa e, portanto, a Terça-Feira de carnaval ocorre 47 dias antes da Páscoa.
A data da Páscoa de 1980 a 2024:
1980 Abril 6 1995 Abril 162010 Abril 4
1981 Abril 19 1996 Abril 72011 Abril 24
1982 Abril 11 1997 Março 302012 Abril 8
1983 Abril 3 1998 Abril 122013 Março 31
1984 Abril 22 1999 Abril 42014 Abril 20
1985 Abril 7 2000 Abril 232015 Abril 5
1986 Março 30 2001 Abril 152016 Março 27
1987 Abril 19 2002 Março 312017 Abril 16
1988 Abril 3 2003 Abril 202018 Abril 1
1989 Março 26 2004 Abril 112019 Abril 21
1990 Abril 15 2005 Março 272020 Abril 12
1991 Março 31 2006 Abril 162021 Abril 4
1992 Abril 19 2007 Abril 82022 Abril 17
1993 Abril 11 2008 Março 232023 Abril 9
1994 Abril 3 2009 Abril 122024 Março 31
Para calcular a data da Páscoa para qualquer ano no calendário Gregoriano (o calendário civil no Brasil), usa-se a seguinte fórmula, com todas as variáveis e operações inteiras, com os restos das divisões ignorados. Usa-se a para ano, m para mês, e d para dia.
c = a/100
n = a - [19×(a/19)]
k = (c - 17)/25
i = c - c/4 - [(c-k)/3] +(19×n) + 15
i = i - [30×(i/30)]
i = i - {(i/28)×[1-(i/28)]×[29/(i+1)]×[(21-n)/11]}
j = a + a/4 + i + 2 -c + c/4
j = j - [7×(j/7)]
l = i - j
m = 3 + [(l+40)/44]
d = l + 28 - [31×(m/4)]


Por exemplo, para o ano de 2000,
a=2000
c=2000/100=20 
n=2000-19×(2000/19)=2000-19×105=5
k=(20-17)/25=0
i=20-(20/4)-[(20-0)/3]+(19×5)+15=20-5-6+95+15=119
i=119-30×(119/30)=119-(30×3)=29
i=29-{(29/28)×[1-(29/28)]×(29/30)×[(21-5)/11]}=29-{1×0×0×1}=29
j=2000+500+29+2-20+5=2516
j=2516-[7×(2516/7)]=2516-[7×359]=3
l=29-3=26
m=3+[(26+40)/44]=3+1=4
d=26+28-(31×1)=23
com a páscoa em 23 de abril de 2000. Este algoritmo é de J.-M. Oudin (1940) e impresso no Explanatory Supplement to the Astronomical Almanac, ed. P.K. Seidelmann (1992). Escreva o ano na caixa abaixo e calcule a data da quarta-feira de Cinzas (Ash Wednesday) e domingo de Páscoa (Eastern), no US Naval Observatory:
Ano:
A Páscoa sempre ocorre entre 22 de março e 25 de abril. Para as igrejas ortodóxicas, a data da páscoa é dada pelo calendário Juliano e não pelo gregoriano.

Fonte: http://astro.if.ufrgs.br/pascoa.htm

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Lições Biblicas a partir da Conversão de Zaqueu a Jesus.

Os publicanos eram coletores de impostos, mal vistos pelo povo, titulo tradicional de homens, em cada localidade, empregados do governo romano para cobrarem impostos do povo. Como trabalhavam para os romanos e muitas vezes faziam cobranças extorsivas, passaram a ter má reputação, sendo geralmente odiados e considerados traidores. Eram considerados proscritos pela sociedade da época. Não podiam servir de testemunhas ou juízes, sendo excluídos da sinagoga. Aos olhos da comunidade judaica, essa desonra estendia-se até suas famílias. (fonte: NVI). No entanto nas suas atitudes relatadas nas escrituras fica explicita a disposição em arrependerem-se: alguns iam ao encontro de João Batista se batizavam. Outros procuravam conhecer a Jesus. Neste aspecto um personagem marcante foi Zaqueu, o chefe dos publicanos, caso descrito em Lucas 19:1 a 9. Zaqueu era chefe dos coletores de impostos, ou seja, comandava a extorsão, a exploração popular. Líder da corrupção. Era um homem rico, mas sabia que sua riqueza não vinha das mãos de homens, que era advinda do roubo e da opressão ao povo. (“E eis que havia ali um homem chamado Zaqueu, era este um chefe dos publicanos, e era rico.”v.2). Os nomes descritos na Bíblia refletem características pessoais de seus portadores. Davi significa “o amado”, Abraão “pai de uma multidão de nações”, Jacó “o suplantador, aquele que vence”, Israel “o homem que vê a Deus” e assim por diante. Um fato curioso é o significado do nome: Zaqueu vem do hebraico “Zacah” e quer dizer “puro, o que é puro” a antítese do seu comportamento até então, mas ele buscou conversão, ou seja, purificação, encontro com Jesus. Há muitos anos atrás, nos idos da década de 70, quando era baixa a propagação da palavra de Deus, havia uma impressão geral errônea de que o Evangelho era apenas para as pessoas desvalidas econômica e culturalmente. Era comum também ouvir que aquele que ousasse ler e buscar a entender o que a Bíblia ensina ficaria louco. Sabemos que o Senhor não faz diferença entre as pessoas, logo a verdade é destinada a todos aqueles que a quiserem abraçar, independentemente de sua classe econômica, sejam eles pobres, remediados ou ricos. O evangelho é destinado a todas as classes sociais. O certo é que sem Jesus todos nós somos miseráveis seja qual for a nossa posição social, raça, origem ou condição financeira. E Zaqueu, mesmo sendo publicano e rico, queria conhecer Jesus e se esforçou para ouvir a Palavra. Parecia muito difícil levar seu intento á termo, mas ele esforçou-se para suplantar a multidão, ou seja, quebrou todas as barreiras externas que o impediam de se aproximar do Senhor. Conosco ocorre o mesmo devemos olhar para o Senhor e não para a multidão, ou seja, quebrou todas as barreiras externas que o impediam de se aproximar do Senhor. Conosco ocorre o mesmo devemos olhar para o Senhor e não para a multidão que procura atrapalhar nossa aproximação de Jesus: alguns nos criticam, não aceitam, falam mal do Evangelho, plantam todo tipo de calúnia, mas não desistimos nunca. Havia ainda outro empecilho: a baixa estatura que o impedia de ter uma ampla visão de Jesus em meio aquele grande numero de pessoas ali reunidas, mas ele se esforçou para ter uma visão melhor, mais clara e limpa, pois queria ver Jesus de forma ampla. Para buscar a Jesus não podemos nos ater á multidão e tampouco ás nossas limitações pessoais. Não importa a sua estatura atual e tampouco o que tem feito de errado até agora: todos os dias você tem de aumentar a sua visão de Jesus, tornando-a mais vívida e operante em sua transformação. Nunca se ache tão pecador que não possa se arrepender e ser perdoado por Jesus, o único justo. A força renovadora de Jesus opera quando nasce a vontade sincera em conhecer a Jesus mais de perto e ela deve ser colocada em prática. “E procurava ver quem era Jesus, e não podia, por causa da multidão, pois era de pequena estatura. V.3” Zaqueu subiu na figueira brava, o sicômoro, sobre esta árvore um dicionário da Bíblia diz: “O sicômoro pode atingir até 16 metros de altura e alcança uma circunferência de até 10 metros. A madeira é dura, uniforme e muito durável e, depois do cedro, é a melhor para carpintaria.” Imagine só a cena: um homem baixinho, conhecido e detestado por todos, correndo apertado no meio da multidão para ir á frente deles, subido numa árvore imensa porque queria ver a Jesus! Certamente Zaqueu não pensou em nada: nem na sua vida errada, nem na sua limitação físicas, nem nas pessoas ao redor, fixou-se apenas no melhor: ver Jesus. Ele não perderia essa oportunidade! “E correndo adiante, subiu a um sicômoro para o ver, porque havia de passar por ali. V.4” Jesus se agrada muito quando as nossas atitudes em buscá-lo são firmes, fortes, intensas e decididas. Colocamo-nos inteiramente para estar com Ele, agarrando essa maravilhosa oportunidade! A nossa atitude espiritual firme e determinada de buscar em comunhão, em buscá-lo, chama a atenção de Jesus, nos faz visíveis a Ele e O convidam a estar conosco! “E quando Jesus chegou aquele lugar, olhando para cima, viu-o e disse-lhe: Zaqueu, desce depressa, porque me convém pousar em tua casa. V. 5”. Assim como Zaqueu não devemos atender ao chamado que Jesus nos faz: não espere estar “limpo” e com “tudo em ordem” para vir, venha a Ele exatamente do jeito que você está e receba a Jesus com alegria! “E, apressando-se, desceu, e recebeu-o alegremente. V. 6”. O mundo não nos isenta de seus julgamentos: reclamam, murmuram, comentam, falam mal, criticam porque vêem apenas as ações erradas que tivemos no passado, assim viam Zaqueu como um ladrão, corrupto, chefe de uma quadrilha, mas não era desse jeito que Jesus o via! O mundo não entende como nos convertemos: “como pode o fulano de tal um assassino, ladrão, traficante, viciado entregar a sua vida a Cristo? Isso é mentira dele!”, mas é Jesus quem sonda as intenções do nosso coração e nos ama quando elas são de arrependimento e conversão. A palavra de poder do Espírito é quem nos convence do pecado. “E vendo todos isto, murmuravam, dizendo que entrara para ser hóspede de um homem pecador. V. 7”. O chefe dos publicanos não deu ouvidos para a manifestação do povo. Queria mesmo era se acertar com quem realmente importa: Jesus. Confessou e abandonou seus erros. Neste versículo fica claro que ele conhecia as Escrituras e queria obedecê-las e de coração inteiro falou a sua decisão de mudar, pois sabia que do ladrão era exigido que cumprisse uma penalidade externa imposta pela lei, ou seja, que fizesse a restituição quadruplicada a quem defraudava, reparando assim o que havia sido roubado. (“Se alguém furtar boi ou ovelha, e o degolar ou vender, por um boi pagará cinco bois, e pela ovelha quatro ovelhas.”Ex.22,1: “E pela cordeira tornará a dar o quadruplicado, porque fez tal coisa, e porque não se compadeceu”2 Sm 12.4p e 6). Sem contar que Zaqueu fez mais do que obedecer á Palavra, tomou uma outra atitude que não era exigida pela Lei: dar metade dos bens aos pobres. Jesus espera ainda hoje de nós mesmas atitudes de conversão: confissão, arrependimento e abandono do pecado. “E levantando-se Zaqueu, disse ao Senhor: Senhor, eis que dou aos pobres metade dos meus bens; e, se em alguma coisa tenho defraudado alguém, o restituo quadruplicado. V.8”. Receber a paz de Jesus hoje e na vida eterna e que seja extensiva aos nossos através das nossas ações. Se Deus não lhe tivesse dado capacidade suficiente para levar a salvação de Jesus aos seus familiares, Ele não teria lhe trazido para o Evangelho. Abraão é o nosso pai na fé (“Para que a benção de Abraão chegasse aos gentios por Jesus Cristo, e para que pela fé nós recebamos a promessa do Espírito.” Gálatas 3:14, por isso recebemos fé mais do que bastante para fazer estar obra. “E disse-lhe: Hoje veio a salvação a esta casa, pois também este é filho de Abraão. V. 9”. Jesus não veio para punir o mundo, ao contrario Ele veio para fazer em nossas vidas e com nossos familiares o mesmo que operou na vida de Zaqueu. Jesus não veio para punir o mundo, ao contrario Ele veio para fazer em nossas vidas e com nossos familiares o mesmo que operou na vida de Zaqueu. “Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o que se havia perdido. V. 10”. A narrativa de Zaqueu reflete o poder de mudança e transformação que a conversão sincera a Jesus opera mudando completamente a nossa História.
Em nome de Jesus.
Mônica Gazzarrini.
Renascida em Cristo em 2004, estudiosa do Evangelho, escritora, administradora de empresas, contabilista, especialista em marketing.
“Jesus Cristo é o Senhor”.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Eu amo a Deus.

"Eu amo a Deus demais, porque ele me deu o direito de escolher. Amar a Ele ou não. Eu amo a Deus porque Ele transforma o meu viver a cada dia. Eu amo a Deus, pois por Ele, eu digo não ao pecado. Eu digo não a todos os valores imorais da sociedade, pelo qual as pessoas estão submetidos. Eu amo a Deus, porque Ele deu seu unico para morrer na cruz por mim. Eu amo a Deus, pois Ele é o ser que mudou a minha história para todo sempre." Então, escolha você também: Amar a Deus ou não?

DEUS. CRIADOR DE TODA HUMANIDADE

''Deus, criou o mundo e tudo que nele há. Deu o livre - arbitrio aos homens para que eles possam escolher o querem para as suas vidas. O que devemos lembrar que é cada escolha tem uma consequencia. O reino espiritual está regido pela Lei da Semeadura: o que você plantar, colherá." 

Autoria: Elenice Rabelo Costa.

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Tragedia no Rio de Janeiro: O atirador seria um radical islâmico, fato confirmado pela irmã do assassino.

tragedia-colegio-publico-realengo-rio.jpgUma tragédia comoveu os Brasil nesta manhã, um jovem entrou em um colégio público em Realengo, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, matou 10 crianças, deixou outras 13 feridas e em seguida se suicidou com um tiro na cabeça, mas um fato pouco divulgado é que o atirador seria um radical islâmico, fato confirmado pela irmã do assassino em entrevista a Band News FM.

No corpo do atirador foi encontrado uma carta com alto teor fundamentalista islâmico, onde o assassino anuncia suas intenções e motivos para a chacina em Realengo. Confira um trecho da carta do assassino:

“Primeiramente deverão saber que os impuros não poderão me tocar sem luvas, somente os castos ou os que perderam suas castidades após o casamento e não se envolveram em adultério poderão me tocar sem usar luvas, ou seja, nenhum fornicador ou adúltero poderá ter um contato direto comigo, nem nada que seja impuro poderá tocar em meu sangue, nenhum impuro pode ter contato direto com um virgem sem sua permissão, os que cuidaram de meu sepultamento deverão retirar toda a minha vestimenta, me banhar, me secar e me envolver totalmente despido em um lençol branco que está neste prédio, em uma bolsa que deixei na primeira sala do primeiro andar, após me envolverem neste lençol poderão me colocar em meu caixão. Se possível, quero ser sepultado ao lado da sepultura onde minha mãe dorme.
Quando invadiu a escola e começou a atirar, o rapaz trajava uma vestimento especial do Islamismo, geralmente utilizada em atos de martirização muçulmana, que são os suicídios após atentados terroristas.

O jovem atirador, Wellington Menezes de Oliveira de 24 anos, teria conhecido o islamismo através da internet e estava desaparecido a oito meses. Dentre as vítimas a maioria eram meninas, assassinadas com um tiro na cabeça. As mulheres são consideradas por alguns fundamentalista islâmicos como sujas e abaixo dos homens.

Estudiosos afirmam que possivelmente Wellington era novo convertido ao Islamismo, já que em outros pontos da carta misturaria coisas relacionadas ao cristianismo, sua religião anterior.
Seu desaparecimento teria sido para ser treinado por alguma célula radical islâmica no Rio de Janeiro, fato ainda não confirmado.

Populares acreditam que o jovem tinha problemas comportamentais e mentais.

terça-feira, 5 de abril de 2011

Deus entregou o seu filho por amor a Todos.

Deus entregou o seu filho porque ele nos ama. Porque ele quer que vivamos segundo os preceitos de sua poderosa palavra. Ele não obriga a ninguém a servi-lo. Ele te ama mesmo assim.
Os preceitos da Palavra de Deus, nos trazem a paz e a felicidade que tanto almejamos em nossas vidas.
Elenice Rabelo Costa

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Alvo da Graça de Deus.

A cada dia nos somos alvos da graça de Deus, pois ele realiza milagres inesperados em nossa vida. Ele não olha as nossas fraquezas. Ele olha o nosso amor por Ele.
Ass: Elenice Rabelo Costa.

Ser Cristão é..............

Ser Cristão é acreditar que Deus rege a nossa vida, não importa o que façamos. Deus está no controle de tudo, o ser humano não pode fugir de Deus; Cada um é reponsável pelos os seus atos. Deus ama a todos sem reserva. Tanto que entregou seu único filho para morrer na cruz por nós, para salvar a humanidade. Você é livre para escolher: ame a Deus ou viva fugindo dele. Deus te dar o livre arbitrio para você decidir.
ASS: Elenice Rabelo Costa

A Fé

A fé é a crença em algo sobrenatural. As pessoas tem fé, porque de alguma maneira Deus se mostrou real em suas vidas. O ser humano sem Deus, é vazio. Não adianta querer matar a crença em Deus. Ele é imortal. Ele criou o mundo. Ele já existia antes de nos existirmos. Ele já era Deus.
Ass: Elenice Rabelo